China ameaça derreter investimentos no mundo todo; entenda

O que Pequim quer com a recente onda de intervenções em diferentes mercados, como os de tecnologia e educação? Não existe só uma resposta para essa pergunta, mas as ações do governo não deixam dúvidas: o modelo de regulação de mercado mudou e os alvos são grandes empresas ?até pouco tempo atrás o orgulho do agressivo capitalismo chinês.

Antes, o governo deixava a competição correr solta, com as empresas livres para ganhar mercado, inovar e destruir a concorrência, mesmo que isso gerasse alguma instabilidade. Mas a chave virou. Pior, em alguns casos o governo não anunciou as razões, com detalhe, para suas ações, gerando uma incerteza que pode ser pior do que a intervenção em si.

Podemos dividir as ações em três tipos: as com objetivos claros de mudar incentivos sociais, as que querem limitar o poder de algumas “super” empresas, e as cujos motivos são indefinidos, podendo ser até mesmo uma vitória de uma corrente exacerbadamente nacionalista e marxista dentro do partido comunista.
Leia mais (07/29/2021 – 08h00)

Fonte do link

Compartilhe: