Casos confirmados de sarampo sobem para 34 em Minas


Chegou a 34 o número de casos confirmados de sarampo em Minas Gerais, de acordo com boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES).  Esse número ainda pode aumentar, já que há ainda 624 casos de sarampo em investigação. 

Quatro destes ocorreram no primeiro trimestre do ano e a cadeia de transmissão foi contida. A partir de junho de 2019 o número de casos suspeitos aumentou, totalizando 1348 notificações provenientes de 206 municípios no estado.

Destes, 694 foram descartados, 624 estão em investigação e 30 casos foram confirmados, sendo detectados novos casos e cadeias de transmissão da doença.

O Sarampo é uma doença viral, infecciosa aguda, grave, transmissível, altamente contagiosa e comum na infância. A doença começa inicialmente com febre, exantema (manchas avermelhadas que se distribuem de forma homogênea pelo corpo), sintomas respiratórios e oculares.

No quadro clínico clássico, as manifestações incluem tosse, coriza, rinorréia (rinite aguda), conjuntivite (olhos avermelhados), fotofobia (aversão à luz) e manchas de koplik (pequenos pontos esbranquiçados presentes na mucosa oral).

A evolução da doença pode originar complicações infecciosas com amigdalites (mais comum em adultos), otites (mais comum em crianças), sinusites, encefalites e pneumonia, que podem levar à óbito. As complicações frequentemente acometem crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa por meio de secreções (ou aerossóis) presentes na fala, tosse, espirros ou até mesmo respiração. Na presença de pessoas não imunizadas ou que nunca apresentaram sarampo, a doença pode se manter em níveis endêmicos, produzindo epidemias recorrentes.

Fonte do link