Brasil precisa de uma estratégia para se colocar entre potências petrolíferas do futuro

O resultado da 17ª rodada de licitações da ANP (Agência Nacional de Petróleo), que aconteceu nesta quinta-feira (7), não foi bom. Apenas 5 dos 92 blocos exploratórios ofertados foram arrematados. Na 16ª rodada de licitações, por exemplo, 12 dos 36 blocos ofertados foram arrematados. Portanto, é importante reconhecer que esta rodada teve baixa adesão, e que esse resultado merece uma análise cuidadosa e uma reflexão por parte do governo e dos stakeholders do setor.

O arcabouço regulatório da outorga de áreas exploratórias evoluiu e os resultados das rodadas não são mais comparáveis numa mesma base. O governo criou a modalidade de oferta permanente de áreas exploratórias, onde muitos blocos que já foram ofertados e não arrematados e blocos que foram devolvidos à ANP ficam em oferta para as empresas. Desde 2018, esta modalidade de outorga já concedeu 50 blocos exploratórios. Certamente, boa parte do apetite existente das empresas foi atendido pelos dois leilões de oferta permanente.
Leia mais (10/07/2021 – 19h58)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários