Brancos que louvam o 'Pantera' manterão o cinema farra de amigos?



Tocados, acordamos todas e todos com a notícia da partida de Chadwick Boseman, cujo trabalho em Pantera Negra ganhou o mundo. Oferendas estão sendo postas aos pés da imagem e legado que deixou para a população que agora se despede com memórias, celebrações e saudades.

No ritual fúnebre na tradição afro-brasileira, histórias são contadas, dançamos, cantamos, comemos, bebemos e imortalizamos quem se foi no coração dos que aqui continuam. Peço licença para também participar desse grande ritual, à altura desse grande guerreiro caçador que inspirou toda a diáspora.

Ressalto que não sou analista de cinema, nem conheci pessoalmente Chadwick Boseman, e então participo a partir dos sentimentos que seu trabalho me proporcionou sobretudo em “Pantera Negra”, como também a partir de elementos que pesquisei quando tocada pela precoce partida.
Leia mais (08/29/2020 – 14h35)

Fonte do link