BHTrans volta a testar ônibus elétrico em Belo Horizonte


Quem usar os ônibus de Belo Horizonte no mês que vem deve encontrar um novo veículo pelas ruas. Segundo informações da prefeitura de Belo Horizonte (PBH), a partir de abril, a BHTrans irá realizar testes com um ônibus 100% elétricos na capital. O veículo foi fabricado pela empresa chinesa BYD e deve rodar durante 60 dias.

O gerente de ações de sustentabilidade da Secretaria Meio Ambiente da PBH, Dany Amaral, que participa da ação, explica como o teste irá funcionar “vai ser feito o que a gente chama de ‘teste sombra’, vai ter o ônibus convencional e o ônibus elétrico acompanhando na via, fazendo o trajeto da linha, buscando os passageiros normalmente. Vamos comparar os dois pra fazer um estudo mais aprofundado”, afirma. 

Ainda segundo ele, a ideia é ampliar o número de ônibus elétricos rodando na capital após o teste “a expectativa é conseguir 25 ônibus para Belo Horizonte depois desse teste com captação de recursos internacionais”, completou.   

O teste, no entanto, não é uma novidade em Belo Horizonte. Em agosto de 2016, durante o governo do até então prefeito Márcio Lacerda, a BHTrans chegou a testar veículos elétricos, também fabricados pela BYD, em linhas suplementares. A empresa é a mesma que vendeu ônibus elétricos para as prefeituras de São Paulo e Campinas.

A atual gestão afirma que, agora, os testes serão diferentes “naquela época foi apenas uma avaliação muito pontual e não houve nenhum aprimoramento. Agora vai ser feito um teste com uma nova tecnologia, com ônibus mais moderno. Aquele na época era um ônibus que já tinha sido usado antes e foi muito pontual”, explica Amaral. 

O gerente nacional de vendas da BYD, Silvestre Sousa, explica que, dessa vez, o ônibus foi projetado exclusivamente para a capital mineira “O anterior era um ônibus chinês de primeira geração, que foi adaptado para operar em BH. Este é um ônibus nacional, fabricado em Campinas, de terceira geração projetado no padrão BHTrans. A altura do veículo é regulável, os pneus são mais elevados, tudo para poder circular na cidade sem problemas”, conclui. 

Benefícios

Segundo a BYD, a principal vantagem de se adotar uma frota movida a energia elétrica é de caráter ambiental, já que os veículos não emitem gases poluentes na atmosfera. Além disso, o rendimento dos veículos são maiores do que os convencionais, gerando uma economia “a cada um quilômetro que o ônibus movido a diesel faz, o elétrico faz quatro. Então o custo operacional dele é bem mais baixo”, conta Sousa.

Os passageiros também devem notar os benefícios. O ônibus elétrico é mais silencioso e também vibra menos do que os veículos movidos a diesel.  

Operação

Esta será a primeira vez que um ônibus movido a energia elétrica sairá de Campinas e chegará a Belo Horizonte, segundo Sousa. Para isso, a empresa conta com o apoio da Cemig com a instalação de pontos de abastecimento.

“Vamos fazer uma parada em Pouso Alegre para reabastecer o ônibus e a Cemig também vai deixar preparado um ponto de abastecimento em Perdões, caso seja necessário”, comenta o gerente de vendas da BYD.

Custos

Na época, os custos de implementação dos veículos elétricos foram um dos maiores empecilhos. Segundo a prefeitura de Belo Horizonte, a BHTrans fez um levantamento de preços e aguarda o teste para a captação de recursos internacionais. 

O veículo elétrico que virá para Belo Horizonte custa em torno de R$ 650 mil, conforme informou a BYD. Mas, segundo Sousa, as condições de compra atuais estão melhores “os sistemas de financiamento hoje melhoraram e o custo operacional do ônibus está mais baixo. Hoje, nós também alugamos as baterias, que são a parte mais cara, o que acaba diminuindo os custos”, explica.

Cidade Premiada

A notícia vem no mesmo dia em que Belo Horizonte recebeu o prêmio internacional de reconhecimento em ações e transparência climática. O prêmio foi dado em São Paulo pela organização internacional CDP, que estimula empresas e governos a reduzirem a emissão de gases de efeito estufa e proteger florestas e recursos hídricos. 

Segundo a Secretaria de Meio Ambiente de BH, dentre as ações que foram reconhecidas pela CDP estão o novo Plano Diretor da cidade, a adesão à Nova Agenda Urbana da ONU, a revisão do Inventário e do Plano de Redução de Emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE), além dos projetos de agroflorestas e de revegetação de áreas degradadas, plantio de mudas no entorno de escolas, entre outros.

O secretário de Meio Ambiente, Mário Werneck, comemorou a premiação “Apesar dos desafios inerentes às grandes cidades, os diversos órgãos da Prefeitura de Belo Horizonte têm avançado em planejamento e execução de políticas públicas na tentativa de minimizar os efeitos das mudanças climáticas”, afirma. 

Outras 105 cidades de todo o planeta também receberam o prêmio. No Brasil, apenas a capital mineira e a cidade do Rio de Janeiro foram premiadas. 

 

Fonte do link