Betim entra em alerta por causa do alto volume de chuva


Betim está em estado de alerta devido à chuva intensa que atinge a cidade desde quinta (23) e está prevista para ocorrer de forma contínua ao longo do fim de semana. A estimativa, segundo o Departamento de Meteorologia do Instituto Mineiro de Gestão e Águas (Igam), é que chova até 150 mm em pontos isolados da região metropolitana – a partir de 30 mm já se observam alagamentos. Para evitar que a população corra riscos, a prefeitura decretou situação de emergência e anunciou um plano de enfrentamento às chuvas, em que estão sendo adotadas diversas ações de prevenção no município.

“Como o volume de chuva é alto, sobretudo nesta sexta (24), corremos o risco de que ocorra uma precipitação muito acima do normal, podendo haver o transbordamento de água em alguns pontos. Betim se preparou, ao longo dos últimos três anos, para evitar tragédias no período das chuvas, como a realização do desassoreamento de rios e córregos, o corte e a podas de árvores com risco de queda, e a limpeza contínua de bacias e bocas de lobo. Mas uma chuva de 85 mm prevista para esta sexta (24) é excepcional e, se ocorrer de maneira muito concentrada, poderá haver falência de alguns pontos conhecidos da nossa cidade. Por isso, estamos atentos e as equipes da prefeitura estão em mobilização total”, ressaltou o prefeito de Betim, Vittorio Medioli. 

Pontos de apoio e mobilização da Defesa Civil, da Guarda Municipal e pessoal de apoio para ajudar no deslocamento de moradores em pontos de maior risco integram o plano de ação emergencial. Também houve reforço no número de efetivos da Defesa Civil, Transbetim e guarda em serviço nas ruas.

A população está sendo orientada pela Defesa Civil a ficar em casa para evitar os riscos eminentes das chuvas. “Evite sair de casa neste tempo chuvoso, principalmente, durante esse período de chuvas contínuas. Evitem locais de alagamentos e andar em enxurradas. É preciso que a população também fique atenta à movimentação em barrancos e, caso sinta alguma abalo ou veja alguma trinca, saia de casa imediatamente e se desloque para um local seguro. Depois, acione imediatamente a Defesa Civil”, orientou o superintendente do órgão em Betim, capitão Ramiro Coelho.

Sem pânico

Segundo Anete Fernandes, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia, é importante tranquilizar a população, uma vez que diversos conteúdos estão sendo difundidos pelas redes sociais causando pânico. “O estado de alerta em relação às áreas de risco continua, mas o que acontece é que temos um volume expressivo de águas previsto para todo o fim de semana, sendo que a concentração mais intensa deverá se dar até a manhã de sábado (25)”, afirmou.

Ainda de acordo ela, em alguns horários pode haver um espaçamento no volume, porém, a chuva será contínua. “Nossa orientação é que a população busque informações apenas nos canais da Defesa Civil do Estado, onde serão compartilhadas as situações reais de cada localidade”, finalizou. 

Ponto facultativo

A prefeitura decretou ponto facultativo na sexta (24), exceto para serviços de urgência e emergência, e orientou empresas, indústrias e comércios a fazerem o mesmo. Com isso, Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Centros de Referência estarão fechados. Centros de Referência em Saúde Mental funcionam em escala mínima. Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e Hospital Regional funcionarão normalmente, com reforço nas equipes. 

Trabalho contínuo

Nos últimos três anos, a Prefeitura de Betim vem atuando de forma contínua para evitar que a população seja afetada no período chuvoso. 
Dentre elas, está a retirada periódica de lixo das bocas de lobo. Somente de 2017 a 2019, foram retiradas 4,5 mil toneladas de resíduos dos bueiros, o que ajudou a reduzir os registros de inundações. No período, R$ 1,6 milhão foi investido na ação.

“A boca de lobo ajuda a escoar a água das chuvas. Porém, se ela estiver obstruída com resíduos, não há como essa água passar, o que acaba se tornando um dos principais fatores causadores das enchentes”, explicou o engenheiro Anivaldo Honorato, gerente de infraestrutura da Ecos, órgão ligado à prefeitura. 

O governo também vem atuando de forma constante na manutenção do sistema pluvial já existente e, nos últimos três anos, construiu mais de 2.000 metros de redes pluviais pela cidade. Além disso, a administração sempre realiza a limpeza e o desassoreamento de rios e córregos e faz cortes e podas de árvores com risco de queda.

“Na avenida Cordiline, por exemplo, um dos pontos críticos no período das chuvas, fizemos recentemente a drenagem de rejeitos”, disse o prefeito Vittorio Medioli. 

Com Dayse Aguiar
 

Fonte do link