Bebê bate cabeça no chão ao nascer na recepção de hospital em BH

Os pais da recém-nascida Olívia, que veio ao mundo no último dia 6 em um parto natural, acusam o Hospital Sofia Feldman – considerado referência nacional em atendimento humanizado – de negligência após a bebê bater a cabeça no chão e sofrer traumatismo craniano ao nascer na recepção da unidade de saúde, que fica no bairro Tupi, na região Norte de Belo Horizonte.

O prontuário apresentado à reportagem de O Tempo pela mãe de Olívia, Josiane Marques Pereira, 27, mostra que a criança sofreu hemorragia e precisou ser transferida com urgência para o Hospital João XXIII, na capital, onde passou por cirurgia para drenagem do sangramento. A recém-nascida – que está com 11 pontos na cabeça – recebeu alta, mas fará acompanhamento com neurologista para avaliar a possibilidade de sequelas provocadas pela queda. 

Josiane relata que deu entrada no hospital às 7h40 daquela sexta-feira após sentir fortes contrações. “Era a maternidade mais próxima da minha casa. Fizeram meu prontuário e fui encaminhada para uma triagem, mas só mediram minha pressão e pediram que eu aguardasse. Não fizeram exame de toque”, conta a dona de casa. 

A jovem afirma ter permanecido na recepção por quase uma hora sem assistência médica. “Eu sentia muita dor e ia ao banheiro toda hora. Via várias pessoas sendo atendidas e eu não era chamada. Fui até uma sala falar que a bebê estava quase nascendo e me disseram que eu seria a próxima. Voltei a me sentar, mas a dor aumentou muito e a bolsa rompeu”, lembra a mãe da criança. 

Josiane conta que após a bolsa romper, o marido dela tentou conseguir uma cadeira de rodas, mas não deu tempo de o equipamento chegar. “Eu não conseguir permanecer sentada. Precisava me deitar, mas não tinha como. Então me sentei bem na beirada do banco, quase deitada. Foi nessa hora que só senti a bebê saindo e ouvi o barulho dela cair no chão”, detalha a mãe. 

Nesse momento, segundo ela, vários profissionais da equipe do hospital apareceram para socorrer a criança. “Até aquele momento não tinha ninguém do meu lado, mas quando viram o que aconteceu, todo mundo veio”, conta. 

Segundo Josiane, após avaliação de um pediatra, foi constatado um “galo” na cabeça na recém-nascida, que foi encaminhada para tomografia no Hospital Risoleta Neves. O exame detectou traumatismo craniano e hemorragia e a criança foi transferida com urgência para o Hospital João XXIII, onde foi realizada a cirurgia. 

“Agora ela está bem. Eu quero acreditar que ela está bem, mas teremos que fazer um acompanhamento para saber se não terá sequelas. Na hora que tudo aconteceu, bateu desespero. A princípio não ia registrar a ocorrência, só queria minha filha bem. Mas quando vi ela operada, cheia de fios, inchada após a cirurgia, eu decidi denunciar, porque isso não pode acontecer mais”, desabafa Josiane, que registrou um boletim de ocorrência na Polícia Militar.

A reportagem procurou o Hospital Sofia Feldman e aguarda um posicionamento sobre o caso.

 

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários