Após queda, Ernesto vira mártir da direita e é estimulado a se candidatar

[ad_1]

Nos pouco mais de dois anos em que esteve à frente do Itamaraty, Ernesto Araújo fez da oposição ao “globalismo” uma de suas marcas. Nas primeiras semanas depois de deixar o cargo, em 29 de março, agregou outro termo à sua lista de alvos: o “multilateralismo mágico”.
Leia mais (04/24/2021 – 23h15)

Fonte do link

[uam_ad id="6960"]