Após liberação do novo auxílio emergencial mais baixo, centrais sindicais vão manter pressão por R$ 600

Mesmo depois que a nova rodada do auxílio emergencial de R$ 150 a R$ 375 começar ser paga, na terça-feira (6), as centrais sindicais vão seguir na campanha pelos R$ 600.

CUT, Força Sindical, UGT, NCST Nova Central, CTB e CSB escreveram uma carta aos parlamentares pedindo para restabelecer as regras de 2020 até o fim da pandemia.

Antonio Neto, presidente da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros), defende que o aumento do auxílio é urgente não só para proteger o trabalhador da fome fazendo isolamento em casa, mas também para movimentar a economia e salvar as empresas.
Leia mais (03/31/2021 – 18h28)

Fonte do link