Andréa Azzi abre mostra individual


Quem sai deliciado do CCBB-BH após conferir a mostra “Equilíbrio Instável”, de Paul Klee, talvez não saiba, mas a viabilização da iniciativa traduz o empenho de uma mineira: a artista Andréa Azzi. Foi ela que se incumbiu dos primeiros contatos com o Zentrum Paul Klee, de Berna, na Suíça, onde morou por quase 30 anos, para que as obras do pintor pudessem cruzar o oceano.
 
Na verdade, a história foi contada aqui, no Magazine: ao voltar a fixar residência na capital mineira, Andréa logo voltou a frequentar a praça da Liberdade, local presente de forma marcante em sua memória afetiva. E aí se encantou com o CCBB, quando começou a pensar em trazer para cá a obra do suíço – considerando que há pessoas aqui que talvez não tenham outra oportunidade de ver in loco telas do expoente que transitou por movimentos como o cubismo e o surrealismo.
 
Etapa vencida, agora é a vez de a própria Andréa mostrar a sua faceta pintora. Com vernissage amanhã, ela inaugura “A Linguagem é uma Pele”, sua individual, na AM Galeria de Arte. “Sem dúvida, o que me orienta são as emoções. As cores me norteiam, e, neste ponto, sinto que me conecto muito com o Brasil. Tenho um carinho e um interesse grandes pelo meu país, que me instiga muito, e pelo povo. Ao mesmo tempo, pelo fato de ter morado e estudado lá, também tive uma orientação acadêmica que não é, digamos assim, muito brasileira”, pontua ela, que, em sua formação, não refuta a influência também da arte abstrata e da pop art. “Esse trabalho que vou mostrar agora surgiu de 2017 para cá, portanto, é todo recente”, conta. 
 
Sobre seu retorno a BH, Andréa diz que sentia muita falta dos laços familiares e, mais uma vez, cita o apreço pelo país no qual nasceu. Ao mesmo tempo, não se furta em comentar: “Queria ressaltar a importância da cultura e da liberdade de expressão em um país como o Brasil. Não podemos deixar que nos tirem o que temos de melhor: a criatividade, a arte e a nossa diversidade”.
 
Confira: AM Galeria de Arte (rua do Ouro, 136. Serra – 3223-4209). Seg. a sex., 10 às 19, sáb., 10 às 14h. Até 30 de novembro. Entrada franca.

Fonte do link