'Amor de Mãe' estreia com overdose de mulheres guerreiras



A mulher guerreira é o epicentro da teledramaturgia brasileira. Nem sempre foi assim: nossas novelas já fizeram muito sucesso com histórias de falsas viúvas e empregadas vingativas. Mas, de uns anos para cá, impulsionada pela fragmentação da audiência, a mulher guerreira se tornou a heroína de quase todos os folhetins que estão no ar.

Na Globo, ela se tornou obrigatória. Está presente na faixa das 18 horas (a dona Lola de “Éramos Seis”) e na das 19 (a Paloma de “Bom Sucesso”). Na das 21 horas, a Maria da Paz de “A Dona do Pedaço” acaba de ceder seu lugar a nada menos do que três batalhadoras: Lurdes (Regina Casé), Thelma (Adriana Esteves) e Vitória (Taís Araújo), as protagonistas de “Amor de Mãe”, que estreou nesta segunda (25).

Manuela Dias, das minisséries “Justiça” e “Ligações Perigosas”, debuta como autora principal de uma novela diretamente no mais nobre dos horários, uma façanha que nem Walcyr Carrasco ou João Emanuel Carneiro conseguiram. Mas tem a responsabilidade de segurar os ótimos índices alcançados no Ibope por sua antecessora, que reverteram o viés de baixa que o carro-chefe da emissora vinha enfrentando há alguns anos.
Leia mais (11/25/2019 – 23h21)

Fonte do link