Alertas por falta de oxigênio e leitos resumem situação da saúde na região Norte



Os poucos leitos, a situação limite de uso de oxigênio e a transferência de pacientes para outros estados dão o tom da situação precária no tratamento contra a Covid-19 na região Norte do país.

O número de hospitalizações aumentou na região oeste do Pará, na divisa com o Amazonas, poucos dias após a saúde pública ter entrado em colapso em Manaus. As internações superaram a oferta de oxigênio das prefeituras.

Municípios como Faro, Oriximiná e Juruti enfrentaram falta de insumos neste mês. Desde o fechamento da divisa entre o Pará e o Amazonas, no dia 14, iniciou-se uma força-tarefa para reverter o quadro.

Atualmente, não há mais déficit de oxigênio. A empresa White Martins, responsável pelo abastecimento, diz que a produção no Pará é de 58 mil metros cúbicos por dia.

Na terça, chegaram a Santarém 1.800 metros cúbicos. Uma miniusina de oxigênio foi instalada na cidade de Oriximiná, para atender a demanda dos municípios da região, com capacidade de produção de 26 metros cúbicos por hora.
Leia mais (01/31/2021 – 23h15)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários