Adolescentes suspeitos de estuprar menina de 11 anos são ouvidos por juiz em BH


Os quatro adolescentes suspeitos de estuprarem uma menina de 11 anos foram ouvidos pelo juiz Emerson Marques Cubeiro do Centro Integrado do Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional (CIA), nesta terça-feira (26). A suspeita de estupro ocorreu no último dia 17 no bairro na região Norte de Belo Horizonte. 

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) houve uma audiência no dia 19 logo após o caso e a desta segunda-feira foi a segunda relacionada ao caso.
Após a primeira audiência foi identificado que os adolescentes não tinham envolvimento com a criminalidade e, de acordo com os pais deles, eles não apresentaram comportamentos inadequados em casa. Por esses motivos, eles ficaram apreendidos. 

Ao serem apreendidos eles negaram que tivessem estuprado a menina, na versão deles, a vítima quis fazer sexo com eles. Os adolescentes, segundo o TJMG, estão sujeitos a medidas socioeducativas já que têm mais de 12 anos. Um homem de 23 anos que filmou o suposto estupro entre os adolescentes e a criança foi preso e teve o celular apreendido. Se ele for indiciado pelo crime, vai responder na Justiça comum. 

Entenda o caso

De acordo com o boletim de ocorrência, quatro adolescentes, dois de 12 e dois de 13 anos, praticaram sexo oral e penetração na menina. A família dela ainda foi ameaçada e precisou se mudar do bairro que morava.  

O estupro foi filmado por um jovem de 23 anos e as imagens circularam até chegarem aos pais da vítima. De acordo com o boletim de ocorrência, a menina contou que foi levada para uma escada obrigada pelos quatro adolescentes. No local, os suspeitos a forçaram a praticar sexo oral e penetraram nela. 

A criança foi levada para uma unidade de saúde onde recebeu atendimento médico e psicológico. Os adolescentes foram apreendidos pela polícia e confirmaram a prática de sexo oral, negaram a penetração e disseram que tudo foi consentido.

 O jovem de 23 anos que filmou o estupro também foi preso. Ele alegou que fez o vídeo para mandar para uma amiga da mãe da criança e, na versão dele, não enviou as imagens para mais ninguém e não tinha conhecimento de que elas estavam circulando.

Vítima, suspeitos e os pais dos adolescentes envolvidos foram encaminhados para a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad) de Belo Horizonte. 

 A Polícia Civil de Minas Gerais informou “que ratificou o flagrante do homem de 23 anos e que os adolescentes envolvidos foram apreendidos e imediatamente encaminhados à audiência. O processo encontra-se no Poder Judiciário, na Vara da Infância e Juventude em Belo Horizonte. O homem é investigado por filmar, compartilhar e armazenar  cena de sexo envolvendo criança ou adolescente, crimes previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente”.  

Fonte do link