Acidente no Canal de Suez revela perenidade de estruturas arcaicas



Financiado por empresários franceses e escavado por mais de 30 mil semiescravos entre 1860 e 1869, o Canal de Suez se revelou decisivo na consolidação da dominação do Reino Unido sobre o Oceano Índico e o subcontinente indiano, ameaçada pela ascensão da Rússia e de seus rivais europeus.

Essa aliança entre capitalismo industrial e expansão imperial liderou uma aceleração sem precedentes da circulação de capital e tecnologia. Inovações como o telégrafo e o navio a vapor surgiram do desenvolvimento dos portos e das rotas marítimas. Até hoje, a história de Suez, com suas raízes napoleônicas, alimenta a mitologia da indústria francesa.

No começo do século 20, a indústria petrolífera se organizou em torno do Canal de Suez. Foi para maximizar o aproveitamento da infraestrutura que a Shell desenvolveu os primeiros petroleiros modernos. Entre 1910 e 1960, esses navios representaram 82% da circulação do canal, o novo eixo comercial entre a Europa e o Oriente Médio.
Leia mais (03/28/2021 – 16h05)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários