A história emocionante do poeta que viveu 35 anos na rua. A vida de Raimundo Sobrinho



Você tem o costume de ajudar as pessoas? Lá em São Paulo, uma mulher teve a iniciativa de se apresentar a um homem em situação de rua e conhecê-lo melhor. Raimundo Arruda Sobrinho é o nome dele. Longe da família por décadas, ele finalmente encontrou os parentes, quando a mulher decidiu criar uma página no Facebook para divulgar os poemas que ele escreveu. Solta o play no vídeo e confira toda essa história!

Ficha Técnica:

ROTEIRISTA: Victor Lisita / EDITOR DE VÍDEO: Adriana Itacaramby / ILUSTRADOR (THUMBNAIL): Katira / DIRETOR DE FOTOGRAFIA: Gabriel Cunha / CAPTAÇÃO E EDIÇÃO DE ÁUDIO: Jefferson Oliveira / OPERADOR DE CÂMERA E STEADICAM: Carlos de Freitas Santos / SEGUNDO ASSISTENTE: Danyllo Freitas / DIRETOR E PRODUTOR: Augusto Ijanc / COORD. TÉCNICO YOUTUBE: Muryllo Vilela / CHEFE DE REDAÇÃO E REVISÃO: Priscilla Bernardes / PRODUTOR EXECUTIVO: Luiz Phellype Alves

Link original

COMPARTILHAR

40 COMENTÁRIOS

  1. Infelizmente muitos da sociedade hoje em dia acha que todos que estão morando nas ruas são noias bandidos é não é bem por aí têm pessoas que estão na rua por falta de contato por ser enganados ou por outros motivos mais enfim têm pessoas talentosas nas ruas sim muitas histórias lindas de vida

  2. Ivan,neste momento meu coração,com tanta paz.espargiu do sentimento mais lindo e benevolente que existe. Em meados dos anos 2005 ( ainda morava na região do Alto de Pinheiros) ainda jovem. Passava quase todos os dias,ali na aquela travessa, ao lado da praça Pan-americano. Esse senhor,tive imensa honra conhecer…sinceramente,que alma cheia de luz,humilde.O sorriso era nitidamente visto por todos que ali,paravam para conhecer um pouco da sua vida. Tive essa honra,paira a alegria de saber que ele esta bem. Obrigado,me fez voltar aos tempos em que meu mundo e feito de skate e poesia. "Deixo,parte de mim,feita em versos-reversos. A poesia é o caos que me alivia em dias de calmaria." Sam Murad

  3. Há muitos casos iguais a esse nas ruas.Queria que todos tivessem final feliz.A vida nas ruas muda totalmente o psicológico das pessoas.Elas esquecem até que continuam sendo seres humanos:(

  4. Fatos, me diga uma coisa eu vi esse caso no face e ele tinha feito uma aposta ou algo assim em um casino e ficou rico. E tinha uma pessoa que falava com ele e o cumprimentava ele e deu até um cllr para ele

  5. Boa noite amigo gostaria de te contar uma história que aconteceu comigo meu nome é João Helde Carlos Junior tenho 36 anos sou muito fã da apresentadora Eliana acompanho ela desde criança desde 1991 quando ela apresentava um programa infantil o festolandia sempre sonhei em um dia poder ver ela tive um carro que tinha uma foto gigante dela no capo do carro no dia 7 de março de 2017 as 20:14 realizei esse grande sonho ela me recebeu muito bem e tirei uma foto com ela porém a equipe dela me tratou como se eu fosse um lixo por diversas vezes descobri que no sbt existe uma máfia entre alguns funcionários e fan clubes é um negócio muito chato se você por sua aparência ou por motivos que desconheco não agrada eles simplesmente você é cortado e pronto dai pra frente nunca mais fui atendido por eles todas as vezes que eu ligava na emissora era mau tratado resolvi um dia expor essa situação no YouTube no entanto a quase 8 meses atrás o sbt e várias emissoras depois de ver minhas acusações no YouTube ficaram quase o mês todo me defamando para todo Brasil me acusando de maniaco e de ameaça de morte perdi tudo que tinha na época eu trabalhava com aplicativos fui excluido dos aplicativos quase fui morto e tive que ficar meses sem poder sair de casa até hoje nunca mais consegui trabalho na época liguei em todas emissoras que me defamou para dar minha versão porém todas elas além de não me atender foram todos arrogantes disseram que era problema meu e que eu procurasse um advogado por favor me ajuda a provar tenho todos os materiais que comprovam o que estou contando aqui

  6. Que presente! Ha tempos vi um material na tv falando sobre esse senhor amavel e muito inteligente …q gostaria tanto de ve-lo bem e em segurança…..agora vejo q ele esta bem… Q Deus abebçoe a Shala e a familia dele q ele possa ter dignos dias a sua frente ate o devido descanso chegar mmmque seja numa cama quentinha ….♥️♥️♥️♥️obrigada

  7. Conheci o Sr. Raimundo Arruda Sobrinho em 2010. Na época, trabalha em um serviço de abordagem social que atendia moradores de rua da região de Pinheiros (Alto de Pinheiros, Pinheiros, Jardins e Itaim Bibi) e que mantém um convênio entre Organizações da Sociedade Civil e a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Social de São Paulo.
    Minhas visitas a ele eram semanais. Havia sempre uma preocupação quanto a sua vulnerabilidade e situação de saúde, principalmente nas épocas das frentes frias e de chuvas. Um detalhe interessante: nesses dias de frio ou de chuva, o Sr. Raimundo usava uma grande lona transparente para se cobrir sentado, de modo que não atrapalhasse na sua rotina de escrever e organizar os pequenos papéis com suas mensagens.
    Existiam moradores da região que "cuidavam" do Sr. Raimundo, sempre lhe oferecendo doações (cobertores e, principalmente alimentos e água potável). Mas também doavam papel A4 e caneta, haja vista o hábito peculiar do Sr. Raimundo de sempre escrever. Para escrever suas mensagens, o Sr. Raimundo dobrava a folha A4 em quatro partes e, em seguida as cortava com ajuda de uma régua. E para ter firmeza na caligrafia, usava uma prancheta improvisada onde era amarrado uma caneta (geralmente de tinta azul da marca Bic Cristal).
    A cada visita que eu fazia de aproximadamente 40 minutos, buscava saber sobre sua saúde ao mesmo tempo em que ouvia suas histórias e coisas da qual pensava. Ao final, como gesto de gratidão, o Sr. Raimundo sempre me presenteava com um dos seus pedaços de papel com as mensagens que escrevia. Sua assinatura sempre era: "O Condicionado" SP 16-1-1999+11(e). Outra característica interessante era que, acostumado a receber visitas, o Sr. Raimundo sempre convidava a se sentar em um dos latões de tinta que usavam como banco e que guardava em seus pertences, para que as visitas pudessem conversar melhor com ele.
    Outra preocupação minha e da equipe desse serviço foi de sempre buscar meios de o Sr. Raimundo não fosse retirado do local de maneira coercitiva, haja vista que havia uma outra parcela de moradores da região de Alto de Pinheiros que quase sempre se queixava da presença do "morador de rua" em Alto de Pinheiros e que, deveria ser retirado imediatamente do local. Tentamos paralelamente procurar alternativas para oferecer uma melhor qualidade de vida para o Sr. Raimundo, porém nenhuma delas foi tão ousada e incrível do que a da Shalla, que teve a criatividade de publicar a história do "Poeta de Pinheiros" no Facebook, conseguindo assim localizar sua família.

    O Sr. Raimundo é um dentre tantos outros moradores de rua com histórico de saúde mental que perambulam em toda cidade de São Paulo. Infelizmente, uma parcela considerável está localizada no centro de SP, ignorada e marginalizada por todos, que hipocritamente lembram somente na época do frio ou no Natal para fazer "alguma boa ação", mas que porém no restante do ano são tratados de maneira generalizada e pejorativa como se todos usassem drogas, principalmente o crack.
    Felizmente, serviços como o meu da qual trabalho há 10 anos tem sido o amparo e a defesa na garantia dos direitos dessa população a acessar a rede pública da saúde, jurídica e sócioassistencial, assim como também a de promover a aproximação com os familiares, se assim quiserem.
    E antes de que venham com qualquer tipo de pré julgamento, afirmo que nunca vi o Sr. Raimundo ingerir sequer uma gota de bebida alcoólica e tão pouco fazer uso de qualquer tipo de outras drogas.

  8. Existem muitas pessoas verdadeiramente boas neste país ainda. Pessoas que ajudam sem segundos interesses. Pessoas que estendem as mãos para o próximo e o ajuda a crescer e ser verdadeiramente livre. A bênção de Deus chegou a essa mulher e a esse senhor. Louvado seja Deus!

  9. Que bom que agora ele está com a família bem cuidado mas ele poderia ter evitado tanto sofrimento para ele mesmo nos anos que dormiu na rua como mendigo pois ele tinha família e casa em Goiás e mesmo eles querendo cuidar dele com amor ele preferia a vida sofrida em São Paulo daí eu pergunto até quando os nordestinos vão achar que São Paulo é uma maravilha? São Paulo não é vida em São Paulo só se sobrevive não tem emprego moradia segurança nem para os próprios paulistas e paulistanos

  10. Eu me lembro dele, eu trabalho na região de Pinheiros próximo mas não tão próximo do restaurante Senzala, todos os dias pela manhã eu passava de carro e via esse Senhor, até que um dia ele sumiu, agora sei para onde ele foi, que mulher abençoada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − 7 =