7 de espadas quer virar 7 de copas: Sampaoli é a cartada final de Sette Câmara


A gestão de Sérgio Sette Câmara no Atlético tem sido digna de um sete de espadas. Eliminações vexatórias, nenhum título e freguesia para o rival Cruzeiro. Não à toa, o presidente alvinegro tem sido extremamente questionado e criticado e, muito pressionado, resolveu jogar sua cartada final após o Galo pagar mico com as seguidas eliminações na Sul-Americana e na Copa do Brasil para os inexpressivos Unión-ARG e Afogados.

Tentando se salvar e transformar seu feio sete de espadas em um belo sete de copas, Sette Câmara, na sua cartada final, contratou Jorge Sampaoli para ser o novo técnico do Atlético no lugar de Rafael Dudamel. O treinador argentino chega ao Galo com a missão de dar nova vida ao time, acostumado a um mico atrás do outro na gestão do atual presidente, e conquistar o primeiro título com o mandatário no comando do clube.

Sette Câmara, afinal, coleciona vexames em sua gestão no Galo. No primeiro ano, em 2018, o Atlético caiu para a Chapecoense na Copa do Brasil e para o San Lorenzo na Sul-Americana, quando tanto brasileiros quanto argentinos jogaram com reservas. No ano seguinte, eliminação na fase de grupos da Libertadores, em uma chave com Cerro Porteño-PAR, Nacional-URU e Zamora-VEN. O time mineiro ficou com apenas seis pontos, todos obtidos sobre a fraca equipe venezuelana. No Brasileiro, campanha ruim e um modesto 13º lugar. Na Sul-Americana, eliminação na semifinal para o inexpressivo Colón-ARG.

Neste ano, o cenário é pior já em março. Eliminações vexatórias na Copa do Brasil e Sul-Americana e o time fora do G-4 do Campeonato Mineiro. No torneio continental, a queda foi para um clube que, em 112 anos de história, tem apenas um título na galeria: a segunda divisão argentina de 1966. Já no mata-mata nacional, o Atlético conseguiu a proeza de cair para um modesto time fundado em 2013. Para se ter ideia, a folha mensal do Galo paga oito anos de salários do Afogados. Inadmissível.

Como se tudo isso não bastasse, na gestão Sette Câmara, o Atlético ainda convive com uma freguesia para o Cruzeiro. O Galo perdeu as últimas duas finais de Estadual para a Raposa e também foi eliminado pelo maior rival na Copa do Brasil do ano passado.

Não à toa, o presidente alvinegro tem sido extremamente criticado pela torcida e convive com pedidos de renúncia. Ele constantemente alega estar fazendo uma boa gestão do ponto de vista financeiro e que, por isso, não tem obtido bons resultados dentro de campo nem conseguiu conquistar um título.

“Até o último dia em que estiver aqui, o torcedor pode ter certeza que isso aqui estará sempre sendo bem cuidado. Peço desculpas se o resultado não vem, mas a parte de gestão do clube está sendo muito bem cuidada, mesmo com todas as dificuldades que estamos encontrando. Continuaremos lutando para manter o clube com tudo em dia: salários, contas e tributos. Sei que o torcedor detesta esse discurso de gestão, que ele quer resultados, títulos e bola, mas ele precisa saber que não conseguimos fazer um plantel melhor porque esse dinheiro está sendo usado para pagar dívidas do passado e, infelizmente, isso caiu no meu colo”, se justificou o mandatário, recentemente, em entrevista coletiva.

Com Sampaoli, porém, Sette Câmara demonstra ter enfim se cansado disso e dá sua cartada final em busca do primeiro título de sua gestão e ao menos uma grande campanha que orgulhe a Massa no Campeonato Brasileiro. O presidente do Atlético tenta salvar seu período no comando do Galo com um grande e cobiçado treinador, sonhado pela torcida. E, ao que tudo indica e pelos pedidos do argentino, vai enfim investir em grandes contratações para montar um bom time.

Fonte do link